quarta-feira, 29 de Abril de 2009

Panna Cotta de Espargos para um dia Verde


Qualquer dia tenho que mudar o nome do Blog para "os amigos da panna cotta" :) ou qualquer coisa do género... a verdade é que esta é a terceira receita de panna cotta salgada, mas estou a adorar estas versões e esta pareceu-me ideal para apresentar no Dia Verde, também porque tem um dos meus legumes preferidos e que se encontram em plena época - os espargos.
Os espargos podem ser encontrados todo o ano em latas ou frascos mas confesso que não gosto dessas versões, parecem-me sempre demasiado "deslavadas", talvez não tenha encontrado a marca certa... por isso a par dos alperces os espargos são aquilo que todos os anos espero com alguma ansiedade.
Quando são fininhos e selvagens como estes basta cortar as pontas amarelas e podem ser cozinhados inteiro, mas quando são mais grossos convêm também tirar os fios, o que se faz facilmente com um daqueles descascadores que se usam para as cenouras.

Esta receita foi ligeiramente adaptada do livro Panna Cotta.

Ingredientes:
300 gr de Espargos Cozidos
60 cl de Natas
50 gr de Parmesão Ralado
1 Ovo Cozido
5 Folhas de Gelatina
Sal e Pimenta

Como usei espargos frescos cozi-os já cortados em 3 parte, no fim da cozedura passei-os por água fria (este processo de choque térmico chama-se branqueamento e deve ser feito a todos os legumes verdes para manterem a cor e não passarem a castanho).

Amolecer a gelatina em água fria e levar as natas ao lume, quando estiverem quentes derreter nelas a gelatina, misturar os espargos, o ovo cozido, o parmesão, o sal e a pimenta e bater tudo até obter um puré liso. Dividir por formas individuais ou colocar numa forma grande e levar ao frio até prender.

sexta-feira, 24 de Abril de 2009

Uma Pavlova para Cronos

A Origem da Pavlova (que deve o seu nome a uma bailarina russa) é disputada por Australianos e Neo-Zelandeses, mas para mim o que interessa é que é das coisas mais fáceis e rápidas de fazer, aquilo que faço quando me falta a imaginação para outras coisas ou quando o Deus do tempo não me permite maiores aventuras :)
Gosto especialmente da sua versatilidade, pode-se mudar o creme, podem-se mudar as frutas…. Sempre que se mantenha a formula: Suspiro + Creme + Fruta.

Quando Cronos deixa às vezes faço vários discos que sobreponho recheados com creme e frutas ou com chocolate e natas… a imaginação é o limite...!

Esta não podia ser mais simples, suspiro, ganache de chocolate e morangos, o suspiro fica sozinho no forno 1h enquanto se fazem outras coisas e a ganache e os morangos demoram 10 minutos a fazer… acho que Cronos vai gostar.

Ingredientes para o Suspiro:
Claras
Açúcar
.
O suspiro é algo envolto em algum mistério, já vi receitas complicadas e formas ainda mais complicadas de o fazer, eu utilizo uma fórmula básica que me foi passada há muitos anos, esta fórmula permite-me usar as claras que vou congelando sem ter de saber se são 1 ou 4, o que faço é medi-las num copo medidor e a partir daí medir o dobro da quantidade do açúcar.
.
Bato primeiro as claras em neve até ter picos pouco firmes e depois vou juntando o açúcar aos poucos, às vezes coloco uma colher de chá de cremor tártaro que serve para dar algum brilho mas não me parece indispensável.
.
Coloco o suspiro num saco pasteleiro ou mesmo com uma colher vou fazendo um círculo em cima de uma folha de papel vegetal, pode-se desenhar o círculo primeiro usando por exemplo o fundo de uma tarteira como molde. A ideia é criar um “ninho”, uma espécie de caixa onde se vai colocar depois o creme. A temperatura do forno interfere com a cor da Pavlova por isso não deve ser mais de 100º, normalmente fica lá 1h porque eu gosto do interior cremoso mas podem ser 2h se se quiser mais seco.

Ingredientes para a Ganache:
2o0gr de Chocolate (usei com 70% de cacau)
200 ml de Natas

A ganache de chocolate é muito simples de fazer e porque é mais amarga contrasta muito bem como doce do suspiro. Aquecem-se as natas quase até ferverem, nessa altura desliga-se o lume e junta-se o chocolate partido aos bocados que com o calor das natas vai derreter formando um creme liso e brilhante.
.
Decorei com morangos semi fatiados e abertos em leque, claro que os podia ter cortado em fatias mas assim foi mais rápido ;)

terça-feira, 21 de Abril de 2009

Pudins de Funcho com Queijo da Ilha

Estou sempre atenta às receitas que levam funcho porque gosto muito do sabor, por isso quando vi a receita da Elvira de uma tarte de funcho com queijo da ilha anotei-a logo mentalmente para a fazer.
Entretanto os dias foram passando e nada de tarte, este fim-de-semana com o funcho e o queijo já à espera de vez no frigorífico resolvi transformar a tarte numa espécie de pudim ou se quisermos numa tarte sem massa.

Ingredientes:
2 Ovos
100 ml de Natas*
75 ml de Leite*
1 Bolbo de Funcho Médio
1 Alho Francês
Queijo da Ilha Ralado
Sal & Pimenta

Saltear o funcho e o alho francês picados num pouco de manteiga até terem as pontas douradas. Bater as natas com os ovos e o leite, juntar a mistura de funcho e alho francês, temperar com sal e pimenta e lavar ao forno até estar dourado.
Servi com uma couve que descobri há pouco tempo no supermercado biológico e que é deliciosas, chama-se couve japonesa e o sabor é parecido com a rúcula.

*Estas quantidades não foram medidas, fui juntando até ficar com a consistência do que seria o creme para uma quiche

segunda-feira, 20 de Abril de 2009

Abacaxi Grelhado com Sorvete de Rum com Passas

Esta acabou por ser a maneira de salvar um abacaxi que apesar de ser Biológico não tinha grande sabor. Grelhei-o simplesmente polvilhado com pouquíssimo açúcar amarelo e na altura de servir polvilhei pimenta Sechuan, gosto especialmente desta pimenta por ser muito aromática. Servi com um sorvete de rum com passas.

O sorvete* é muito simples e como leva álcool não necessita de sorveteira porque o álcool evita que se formem palhetas de gelo ficando sempre cremoso.

Ingredientes:
1 Lata de Leite Condensado
5 dl de Natas
100 gr de Passas
1,5 dl de Rum

Deixar as passas de molho em rum pelo menos 1h. Misturar as natas e o leite condensado ao rum com passas e levar ao congelador ou à sorveteira.
*Tenho a receita impressa sem mencionar a fonte, achava que era do site Vaqueiro mas parece que não porque não a consigo encontrar.

quarta-feira, 15 de Abril de 2009

Panna Cotta de Beterraba

Achei graça a esta ideia da Mary de marcar um dia onde se apresentam receitas de uma cor, hoje é por isso um dia vermelho. Esta receita de Panna Cotta não é Panna nem Cotta, eu explico… Panna Cotta é uma doce Italiano simples e muito saboroso feito quase só com natas (panna) cozidas (cotta) mas esta receita não tem natas e não é cozida, no fundo de Panna Cotta só tem o nome. Com certeza será mais indicada para os dias quentes e não para os dias cinzentos como hoje.

Ingredientes:
400 gr de Beterraba cozida e pelada
3 Iogurtes Naturais
2 Dentes de Alho picados
2 Colheres de Sopa de Salsa
Sumo de 1/2 Limão
3 Colheres de Sopa de Azeite
4 Folhas de Gelatina
Alguns quartos de tomate para decorar
Sal

Misturar a Beterraba com os iogurtes, o sumo de limão, o azeite, o alho e a salsa até obter um puré. Temperar com sal. Amolecer a gelatina em água fria e dissolve-la depois num pouco de água quente, misturar no puré. Levar ao frio e depois de desenformada servir com um fio de azeite e tomate cortado aos quartos.

quarta-feira, 8 de Abril de 2009

Amêndoas*


Esta semana começou cheia de boas intenções mas como acontece quase sempre ficaram pelo caminho…. Tinha pensado fazer uma série de coisas que não fiz, nesta época gosto sempre de fazer amêndoas, ovos de chocolate a alguns bombons para oferecer aos amigos, mas este ano já fiz saber que o coelho está atrasado… devido à crise teve de vir em Low Cost e fazer várias escalas e não chegou a tempo.
Amanhã vou até ao sul ver se me ponho ao sol e quando voltar dedico-me a algumas tarefas culinárias tardias. Entretanto deixo-vos com estas amêndoas, pode ser que alguém ainda se atreva a fazer.

São necessários apenas 4 ingredientes: Amêndoas com pele, Água e Açúcar em partes iguais e paciência – toda a que houver. Normalmente não faço mais do que uma chávena de chá de cada vez, para poder controlar bem o processo, uso uma frigideira anti aderente onde ponho as amêndoas, o açúcar e a água em lume brando e aqui é onde entra a paciência… vai-se mexendo até formar uma areia quase branca nessa altura levanta-se ligeiramente o lume para que a areia agarre às amêndoas e escureça um pouco, passa-se para cima de um tapete de silicone ou da bancada de pedra ou de papel vegetal, tentando que não fiquem muito coladas umas às outras mas se isso acontecer podem ser facilmente descoladas quando estiverem frias.
*Esta receita foi-me dada há muitos anos por uma tia que vive no Algarve.

segunda-feira, 6 de Abril de 2009

Tapioca com Morangos




Depois de ler uma descrição da Melhor Sobremesa do Mundo feita de forma muitíssimo afectuosa pela Cláudia, lembrei-me que não devia comer Tapioca há mais de 30 anos... que é como quem diz há muito tempo :) fui comprar um pacote e satisfiz a minha vontade/curiosidade.
Como não tinha leite de coco para seguir a receita original adaptei a receita que vinha na embalagem e juntei morangos e manjericão uma combinação que resulta sempre bem.
Ficou uma sobremesa leve e não excessivamente doce adaptada a alguém que está tentar vagamente fazer dieta… que é como quem diz comer menos doces.

Ingredientes:
40 gr de Tapioca
400 ml de Leite
2 Colheres de Sopa de Açúcar
Morangos
Manjerição
Açucar em Pó

Levar ao lume a tapioca, o leite e o açúcar até espesssar +/- 15 minutos. Deixar arrefecer e na altura de servir decorar com morangos cortados, folhas de manjericão e açúcar em pó.

Lagarto Pascoal

Recebi ontem este lagartinho amoroso de uma amiga que tem uma infinita paciência para estas coisas... Reparem no pormenor da corda na árvore onde o lagarto supostamente está preso...
Pelo que ela me disse é o que se oferece no Alentejo às crianças em vez do tradicional folar, uma vez que a massa é a mesma.
Não sei a receita mas fica a ideia para se alguém se quiser aventurar nesta Páscoa.

quinta-feira, 2 de Abril de 2009

Tartes Cremosas de Pêras

Há assim umas receitas que são feitas por acaso, não sei se serão as melhores mas fico sempre contente quando resultam. Estavam ali duas pêras quase abandonadas, tinham chegado na cesta e estavam já muito maduras, ao folhear a Living de Março descobri uma tarte de framboesa que rapidamente se transformou em tarte de pêra, ficaram umas tartes macias, suculentas e cremosas... as pêras não podiam ter tido um final mais feliz. A receita deu para 4 tartes pequenas o que deve dar uma grande.

Ingredientes para a Massa Areada:
150gr de Farinha
75gr de Manteiga
1 pitada de sal
50gr de açúcar
1 Gema
Ingredientes para o Creme:
2 Colheres de Sopa de Farinha
¾ de Chávena de Açúcar (usei menos)
1 Ovo grande
1 Chávenas de Crème Fraiche
1 Pitada de Sal

Fazer a massa misturando tudo rapidamente com a ponta dos dedos ou com a batedeira e forrar as tarteiras já untada. Bater todos os ingredientes do creme e juntar 2 pêras cortadas aos cubos, levar ao forno a 200º até estares douradas. No fim polvilhei com canela.

quarta-feira, 1 de Abril de 2009

Panna Cotta de Cogumelos

Na minha última viagem a Paris consegui trazer apenas 3 livros de cozinha* na bagagem (fora os ouros mais específicos da minha área), tinha pensado não trazer nenhum mas essa é sempre uma tarefa que se revela impossível, é como deixar uma criança fechada numa loja de doces e pedir-lhe para não comer nenhum… acho sempre fantástica a quantidade de livros de cozinha que existem na livrarias estrangeiras em comparação com as 2 ou vá lá 3 prateleiras que existem nas livrarias portuguesas. O meu maior fascínio foi na Finlândia onde tudo é traduzido e onde mesmo sem perceber um única palavra de Finlandês me passeei alegremente entre as prateleiras, fascinada com um país que tem uma comunidade de leitores inferior a Portugal mas que claro está lê muito mais.

Esta Panna Cotta é uma entrada diferente e fresca agora que os dias quentes se aproximam, imagino que também se possa fazer numa forma grande de bolo inglês mas acho que perde parte da graça…

Ingredientes:
350 gr de Cogumelos
200 gr de Ricotta
25 cl de Natas
15 gr deManteiga
1 Colher de Sopa de Conhaque (usei mais)
4 Folhas de Gelatina
Sal e Pimenta
Acrescentei Tomilho Limão porque gosto muito desta erva em conjugação com os cogumelos.

Limpar os cogumelos (nunca os lavo com água, limpo sempre com uma escova ou com um pano) e corta-los em fatias finas. Frita-los na manteiga, juntar o conhaque, sal, pimenta e o tomilho limão. Demolhar as folhas de gelatina em água fria. Aquecer as natas, dissolver aí as folhas de gelatina, misturar a ricotta e até ficar um creme liso. Juntar os cogumelos, colocar em formas individuais (usei 4 copos) e levar ao frio até ficar firme.

*um deles foi só sobre Panna Cotta, quem pode resistir?