quarta-feira, 30 de Dezembro de 2009

Um Gingerbread para o Ano Novo

O marido de uma amiga gosta particularmente de Gingerbread, mas na verdade ele procura “Aquele” Gingerbread … Há alguns anos foi convidado para casa de uns amigos cuja mulher era estrangeira (Dinamarquesa? Inglesa? Não tenho a certeza...) o que sei é que até hoje ele fala de um Gingerbread que comeu por lá e que nunca mais conseguiu comer igual.
.
Como não gosto que os meus amigos vivam apenas de recordações sempre que os visito no Inverno (não me parece que Gingerbread combine com verão mas pode ser mania minha….) levo um, faço sempre uma receita diferente, pode ser que um dia chegue à ideal…. :)
A receita de hoje foi tirada deste livro e está pronta a seguir viagem até ao pequeno-almoço do dia 1 do novo ano.
.
Entretanto espero que tenham uma excelente passagem de ano com ou sem passas, vestidos de branco ou de preto, com mais ou menos champanhe mas com a alegria do começo de um novo ano, que é assim mais ou menos como um caderno em branco no primeiro dia de aulas, onde temos a impressão que vamos poder escrever tudo desde o início ;)
.
Ingredientes:
½ Chávena de Manteiga Amolecida
½ Chávena de Açúcar
1 Ovo
½ Chávena de Açúcar Mascavado Escuro
1 ½ Chávena de Farinha
¾ de Colher de Chá de Sal Fino
¾ de Colher de Fermento para bolos
½ de Colher de Chá de Gengibre em Pó (usei 1 colher)
½ de Colher de Chá de Canela em Pó
½ Chávena de Água a ferver
.
Misturar todos os ingredientes pela ordem da receita misturando bem entre cada adição com uma batedeira ou uma vara de arames.
Na Bimby colocar a manteiga e o açúcar dentro do copo e sempre na velocidade 4 ir misturando todos os ingredientes pela ordem da receita dado sempre alguns segundos entre cada adição.
Levar ao forno a 200º numa forma rectangular untada até estar cozido.

quinta-feira, 24 de Dezembro de 2009

Um Doce Natal

Em primeiro lugar muito obrigada a todas as que me deixaram comentários no post anterior :) Infelizmente não tenho conseguido passar por aqui com o tempo que gostaria, mas não queria deixar de vos desejar um Natal muito Doce, em todos os sentidos.
.
Ficam aqui umas caixas de chocolates que fiz para oferecer, claro que os laços tinham de ser às bolinhas :) As caixas foram forradas antes de viajar e os chocolates feitos num instante.
São muito simples de fazer e não existe nenhuma receita em especial, apenas é necessário chocolate (Preto, Leite ou Branco) e um recheio que pode ser uma compota, doce de leite, lemon curd ou que se gostar.
Numa forma para Bombons coloca-se o chocolate no fundo e nas laterais e leva-se ao frio para solidificar um pouco, recheia-se com a compota escolhida e completa-se a forma com mais chocolate para a encher, nesta altura bate-se ligeiramente com a forma numa mesa ou bancada para não se criarem bolhas de ar no interior. Leva-se ao frio até solidificar e estão prontos :)

segunda-feira, 21 de Dezembro de 2009

20+20

1. Gosto de Alperces/Não gosto de Nêsperas
2. Gosto de Viajar/Não gosto de Partir
3. Gosto de Capuccino/Não gosto de Abatanado
4. Gosto de Dar/Não gosto de Pedir
5. Gosto de Cinema/Não gosto de Cenas
6. Gosto de Espargos/Não gosto de Rabanetes
7. Gosto de Abrir Janelas/Não gosto de Fechar Portas
8. Gosto de Champanhe/Não gosto de Whisky
9. Gosto de Braga/Não gosto de Praga
10. Gosto de Praia/Não gosto Areia
11. Gosto de Cor de Rosa/Não gosto de Cinzento
12. Gosto de Cozinhar/Não gosto de Arrumar a Cozinha
13. Gosto de Sapatos /Não gosto de Relógios
14. Gosto de Falar/Não gosto de Telefones
15. Gosto de Chuva/Não gosto de Vento
16. Gosto de Ostras/Não gosto de Pato
17. Gosto de Chapéus/Não gosto de Chapéus-de-Chuva
18. Gosto de Fotografar/Não gosto de ser Fotografada
19. Gosto de Caracóis/Não gosto de Moelas
20. Gosto de Fazer Anos/Não gosto de Comemorar os Anos
.
Porque ter 40 anos é ter 2 vezes 20 e estar cheia de contradições! :)

sexta-feira, 18 de Dezembro de 2009

Os Monges Budistas


Os jovens monges Budistas estão em todo o lado com as suas vestes alaranjadas que significam a renuncia ao bens terrenos. Os monges recebem ofertas de comida da população e esse é o único meio que têm para se alimentarem, já que não podem comprar nada.
As mulheres não podem nem tocar nos monges nem oferecer-lhes nada directamente, têm sempre de usar um intermediário masculino ou deixar a oferta no chão para os monges apanharem.
Cerca de 90% da população pratica o budismo. Para além da tropa, todos os homens tailandeses têm de frequentar durante três meses da sua adolescência, um mosteiro budista de forma a obterem mérito para si e para os seus.

quinta-feira, 17 de Dezembro de 2009

Um Mundos de Contrastes

Estive pela segunda vez em Banguecoque, uma cidade à qual muitos dizem que só se deve ir uma vez por ser uma cidade muito caótica… acho que não se pode considerar uma cidade bonita, é uma cidade muito grande (com 10 milhões de habitantes) que guarda em si muitos contrastes…. Entre a beleza dos palácios e a sujidade das ruas há um mundo de distância, entre a poluição do ar e a paz que se respira nos templos há diferenças abissais.
.
A cidade vive assim num eterno yin e yang como se toda ela se pautasse pelo contraste entre aquilo que é bom e aquilo que é mau. Nela se juntam a amabilidade das pessoas com o trânsito caótico, o cheiro da comida por todo o lado com o cheiro das flores nos omnipresentes altares, os gigantes centros comerciais com as bancas de rua que tudo vendem, os mais modernos viadutos com as ruelas mais estreitas, tudo se cruza e se mistura num resultado nem sempre fácil de assimilar mas sempre surpreendente.

quarta-feira, 16 de Dezembro de 2009

Comida Portátil

O que mais me surpreende na Tailândia é o facto de toda a gente comer tudo na rua a qualquer hora…. Não existem “refeições” (no sentido clássico do termo), o lema é “se tiver fome, coma” o que quer dizer que o normal é as pessoas comerem umas 7 vezes por dia…. São no entanto um povo magro porque aquilo que comem é muito pouco calórico, não existem gorduras saturadas e quase não existem sobremesas e quando as há são em pequenas porções.
.
Na rua há de tudo à venda em pequenos carrinhos, cada um deles é especializado num produto, há carrinhos de sumos, de chá e café, de fruta (muitos), de arroz, de noodles, de ovos estrelados, de peixe seco, de peixe grelhado, de frangos grelhados, de escaravelhos fritos e outros bichos não identificáveis (pelos menos por mim)…. Mas também há carrinhos com gelatinas, panquecas e algumas heranças Portuguesas como fios de ovos e pequenas trouxas de ovos. Tudo é cozinhado ao ar livre, à vista do cliente em condições de higiene melhores ou piores mas sempre surpreendentes para nós Ocidentais.
.
Tudo é feito de forma a que se usem o menor numero de talheres, os alimentos são cortados ou colocado em pauzinhos de madeira e mesmo à mesa não se usam facas, mas ao contrário da China não se come com pauzinhos, o normal é o uso do garfo e da colher.

terça-feira, 15 de Dezembro de 2009

Há Nuvens no Paraíso...

O Paraíso estava nublado e até mesmo chuvoso, o que não admira tendo em conta que lá agora é Inverno, a praia foi por isso na maior parte dos dias uma miragem.
Apesar de uma chegada com 30ºC, roupa de semi-inverno e….sem malas (perdidas algures entre os 3 aviões na ida) e de alguns males estares físicos... o saldo é claramente positivo especialmente porque é sempre bom mudar de paisagem, de registo e até de fuso horário.