quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Bom 2011

Este foi um ano especial polvilhados por, Amigos, Bolinhas, Carinho, Dádivas, Encontros, Felicidade, Gargalhadas, Humor, Inícios, Jantares, Lugares, Mimos, Novidades, Opções, Prazeres, Quilómetros, Relações, Surpresas, Trabalho, União, Viagens, Xícaras e Zunzuns.
.
Para todos os meus amigos na "vida real" que por aqui passam, para todos os outros que eu não conheço e que de alguma forma me vão acompanhando, mas especialmente para aqueles amigos que de virtuais passaram a reais este ano, um grande abraço e um excelente 2011.

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Porque hoje é Natal...

Há-de haver um ano em que vou desejar a chegada do Natal…
Há-de haver um ano em que vou perceber a azáfama da compra dos presentes…
Há-de haver um ano em que vou cozinhar sonhos...
Há-de haver um ano em que o jantar de Natal não seja apenas mais um jantar…
Há-de haver um ano em que vou gostar do Natal….
.
Este ainda não é o Ano!

Para todos os que passam por aqui e gostam do Natal (e para os outros como eu) um excelente dia rodeados de coisas e de pessoas doces.
.
P.S A bolacha da foto foi feita seguindo a receita da Querida Suzana para as Casinhas de Gengibre.

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

+1

Se é verdade que a vida começa aos 40 :) os 365 dias que passaram foram um ano zero. Este foi sem dúvida um bom ano, um ano muito agitado e por isso vivido. Um ano em que aconteceram coisas muito boas e algumas menos boas, um ano de aprendizagem e de novos amigos.
.
Este foi o ano em que depois de tantos anos a seguir as setas azuis que dizem “Sul” passei a seguir as que dizem “Norte”, como prova de que o caminho nem sempre é por onde o imaginámos.
.
Quando os ponteiros marcarem os 41 vou estar na minha cidade favorita… Porque ao contrário do que se diz devemos sempre voltar aos lugares onde já fomos felizes.
.
P.S. Foto de Annie Leibovitz para o calendário Lavazza de 2009.

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Harina em Madrid

Se a minha relação com Espanha já vem de muito longe, a minha relação com Madrid terá apenas uns 15 anos (Tanto? Tão pouco?) considero-a por isso uma paixão tardia. Mas se quisesse dizer quantas vezes já lá estive, mesmo com um bom esforço de memória, não sei se conseguia… Devo ser das poucas pessoas no mundo que gosta mais de Madrid do que de Barcelona… Com a excepção dos Madrilenos, claro ;)

Em Madrid, já estive com 42º e com -2º, já estive em trabalho e em lazer, já estive doente e já fui feliz, já estive com colegas, com inúmeros amigos e muitas vezes sozinha. Gosto de passear pelas mesmas ruas sem mapa, gosto da movida que move a cidade a toda a hora, gosto dos museus e das tapas, gosto de voltar aos mesmo sítios e de descobrir sítios novos… como este.

O Harina (farinha em Castelhano) é uma padaria/ café com um ar absolutamente delicado, todo branco, como a farinha. Fica mesmo no centro de Madrid em frente ao Parque do Retiro. É um daqueles sítios onde se pode comer o que se quiser a qualquer hora e onde apetece ficar a preguiçar. Achei particularmente engraçada a forma de servir a salada de frutas.

Na rua tem uma óptima esplanada que com os 5 graus que se faziam sentir estava vazia, e umas bicicletas também brancas que podem ser emprestadas aos clientes para passearem no parque. É um daqueles sítios onde tenho a certeza que vou voltar.

sábado, 20 de novembro de 2010

Panna Cotta de Chocolate com Curd de Limão para a Moira

O Tertúlia de Sabores faz hoje 3 anos e é necessário comemorar a existência de um dos melhores blogs Nacionais. O mais curioso é que cheguei ao blog da Moira através de um link num blog Espanhol e lembro-me perfeitamente do primeiro post que por lá vi.
.
Foi esta fantástica torta que acabei por nunca fazer mas que até hoje me povoa os sonhos. Fui agora lá ver se havia algum comentário meu, mas não…. Este blog tinha nascido no dia anterior e eu era, nessa altura, demasiado tímida para comentar :)
.
Pora isso a sobremesa de hoje só podia ser de Choloate com Limão com votos de Muitos e Doces Parabéns ao Tertulia.
.
Ingredientes para a Panna Cotta (6 unidades):
200ml de Natas
200ml de Leite
4 Folhas de Gelatina
70gr de Chocolate em Barra (70% de Cacau)
2 Colheres de Chá de extracto de baunilha
4 Colheres de Chá de Açúcar
.
Colocar as folhas de gelatina de molho em água fria. Levar ao lume as natas com o leite, o açúcar e o extracto de baunilha. Quando levantar fervura desligar o lume e juntar as folhas de gelatina bem escorridas e o chocolate partido em bocado pequenos. Mexer tudo até obter um creme liso e uniforme. Distribuir por pequenas formas (ou colocar numa grande) e levar ao frio até prender (normalmente 2 a 3 horas)
.
Para o Curd de Limão usei a receita que vinha neste livro mas acho que não fica tão bom como a que costumo usar habitualmente. A receita que fica sempre bem é da Alice Waters e foi publicada aqui pela Querida Fer no Chucrute com Salsicha.
.
A receita da Panna Cotta foi baseada numa que vinha neste livro.
.
P.S Como eu a Suzana temos tanto em comum acabámos por nos lembrar ambas do mesmo presente para a Moira ;) Esta é a Panna Cotta de Chocolate feita por ela.

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Tomatinhos Alegres para Alegrar Amigos

Esta é uma entrada fácil, rápida e ideal para petiscar entre amigos. Foi uma das coisas que fiz para o jantar de "Pizas ao Domicílio" que a Querida Laranjinha já tão bem descreveu no Cinco Quartos de Laranja.
.
A receita é da Paulina Mata, uma grande divulgadora da Cozinha Molecular em Portugal e foi-me passada numa aula na Cozinhomania há já alguns anos.

Ingredientes:
Tomates Cereja Vodka ou Tequilla
Flor de Sal
Ervas da Provença
Piri-Piri em Pó*
Raspas de Limão
Salsa ou Coentros Picados
.
Picar os tomatinhos com um palito e cobri-los com o Vodka ou a Tequilla. Deixar de molho pelo menos 2h. Misturar todos os outros ingredientes a gosto. Na altura de servir escorrer os tomatinhos e servir com o sal temperado à parte.

*Desta vez não tinha e por isso usei uma micro gota do excelente Piri-Piri com Medronho da Quinta das Atalaias.
.
P.S Um Grande Obrigada à Laranjinha, autora da foto presente neste post ;)

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

E se a Nigella fosse Algarvia?

Se a Nigella fosse Algarvia viveria numa casa em Cacela Velha com vista para o mar, faria compras no mercado de Olhão, passearia os cães no vasto areal da Praia Verde e subiria até Cachopo para encontrar as melhores ervas.

Se a Nigella fosse Algarvia a sua Pavlova não teria cacau mas sim Alfarroba.
.
Ingredientes para o Merengue (4 Pavlovas pequenas):
4 claras mediadas
O dobro da medida das claras em açúcar
1 colher de sopa de Alfarroba em Pó
.
Ingredientes para a decoração:
200ml de Natas
1 Colher de Sopa bem Cheia de Açúcar em Pó
Framboesas
.
Costumo fazer sempre o merengue “a olho” como já expliquei na outra Pavlova. Eu sei que fazer coisas “a olho” em pastelaria está próximo da heresia :)
Ao contrário da cozinha onde a alquimia de ingredientes é mais livre na pastelaria tudo dever ser pesado ao grama. Mas que querem… se há coisa que eu gosto é de não seguir regras e sempre me dei bem com a "minha" fórmula :)
..
Bater primeiro as claras em neve até terem picos pouco firmes, juntar o açúcar aos poucos e por fim a afarroba em pó.
Colocar o merengue num saco pasteleiro ou com uma colher fazer círculos em cima de uma folha de papel vegetal. A ideia é criar um “ninho”, uma espécie de caixa onde se vai colocar depois o creme. A temperatura do forno interfere com a cor da Pavlova por isso não deve ser mais de 100º, normalmente fica lá 1h porque eu gosto do interior cremoso mas podem ser 2h se quiserem mais seco.
.
Bater as natas com o açúcar até obter um creme espesso. Colocar o creme sobre as pavlovas e decorar com as framboesas.
.
P.S Muito obrigada a todos pelas carinhosas mensagens de solidariedade que deixaram no post anterior. Correndo o risco de desiludir os mais curiosos não vou nunca dizer nem o nome do autor nem o nome do livro. Desculpem mas aprendi que a má publicidade é também uma forma de publicidade ou como já em tempos alguém dizia “falem mal mas falem de mim” ;)

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Saberá a Miss Mundo de Direitos de Autor?

Podemos dizer que na generalidade eu tenho perante a vida uma postura tipo estereótipo de Miss Mundo... :) "O que eu desejo é Paz no Mundo para todas as pessoas e também para as crianças"... Quero com isto dizer que detesto conflitos, vivo mal com eles, acho-os na maioria das vezes desnecessários e a vida ensinou-me (não da melhor forma) que não vale a pena chatearmo-nos por ninharias porque há coisas tão mais importantes...!
.
Mas há alturas em que a Miss Mundo que vive em mim tira férias… E quem fica a tomar conta da casa é uma pessoa muito pouco tolerante com certas coisas… No mundo dos blogs de culinária, por exemplo… tira-me do sério a incapacidade que algumas pessoas têm de não referir as fontes daquilo que fazem… Como se o dizer que se viu a receita noutro blog ou numa revista fosse algo menor… Será desconhecimento? Será falta de paciência? Será o quê? Na minha modesta opinião é apenas falta de ética… Ou será apenas falta de bom senso? É como se a simples visão de algo nos pudesse tornar proprietários desse mesmo algo. Como se fosse normal ir a casa de alguém gostar de um objecto e leva-lo para nossa casa sem pedir.

E depois há as surpresas da vida… Um jantar, uma entrada, um pedido de receita e o vermos essa mesma receita, que era nossa, que não estava publicada em lado nenhum, ser publicada num livro… Sem um qualquer aviso por parte do “autor”, sem uma informação prévia ou quem sabe, talvez até um pedido… A incapacidade de acção e a certeza de que se um dia quisermos publicar aqui ou em qualquer outro lado, aquela que era a “nossa” receita, ela não será mais do que a “cópia” de um qualquer livro entretanto publicado… e para isto há nome?

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Com Açúcar e com Afecto* ...

Hoje não há propriamente uma receita porque as bolachas da foto são feitas apenas com 3 ingredientes: Açúcar, Afecto e Paciência.
Foram feitas para o casamento de uma grande amiga. Daquelas amigas de todas as horas, com quem nos rimos até chorar e que nos momentos de tristeza nos secam as lágrimas.
Daquelas amigas que estão sempre lá quando tudo corre muito bem ou muito mal.

Todos devíamos ter a sorte de ter alguém assim na nossa vida. E por ela me armei de uma virtude que não tenho… a paciência… e fiz flores como se não houvesse amanhã…. 50 bolachas a 18 flores cada…. É fazer as contas ;)

O formato é o de bolo de noiva para combinar com o bolo “verdadeiro”, que curiosamente não era um bolo real… Agora parece que a “moda” é fazer o bolo em madeira forrado de pasta americana e colocar uma parte comestível apenas no último degrau para os noivos cortarem…. No fim são servidas fatias de bolo já empratadas e com os pratos decorados, parece que é mais fácil e mais rápido mas a mim não sei se me convenceu.
.
Para quem está curioso sobre o “como fazer”, esta é a receita que uso sempre para as bolachas, depois foram cobertas com pasta americana já comprada pronta (o açúcar) o resto é só afecto e paciência.

*Título inspirado nesta letra de Chico Buarque ;)

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Compota de Cebola Roxa

Não sei bem como “tropecei” neste livro… deve ter sido num dos meus (perigosos) passeios nocturnos pela Amazon. :) É um livro muito engraçado porque é escrito por um rapaz que aos 16 anos resolveu deixar a escola para começar um negócio de produção de compotas.
Os doces com o nome de “SuperJam” tornaram-se um sucesso de vendas em Inglaterra e o jovem Fraser Doherty tem ganho inúmeros prémios entre eles o de jovem empreendedor de 2007.
.
Alterei ligeiramente a receita e o resultado foi uma compota fantástica para ser usada em múltiplas ocasiões. É algo demorada mas vale cada minuto ao lume e praticamente faz-se sozinha.
E ainda bem que ficou boa porque eu que sou a rainha das “meias receitas” e das “meias doses” tinha tantas cebolas roxas que resolvi fazer tudo e fiquei com um panelão de compota. Por isso, para os meus amigos que me conhecem na “vida real” e que costumam passar cá por casa preparem-se para muitas variações à volta do mesmo ;)
.
Ingredientes:
850gr de Cebola Roxa
100ml de Azeite (usei azeite aromatizado com louro)
2 Folhas de Louro (não usei)
200gr de Açúcar Escuro (usei demerara)
150ml de Vinagre Balsâmico
100ml de Vinagre de Vinho Tinto
.
Pelar e cortar as cebolas em fatias finas. Levar as cebolas ao lume brando com o azeite até estarem bem tenras (cerca de 20 a 25 minutos). Juntar o açúcar, os vinagres e cozer em lume médio até estar bem caramelizadas (cerca de 30 a 40 minutos) no fim se ainda houver muito líquido no fundo, passar para lume forte e ir mexendo para evaporar um pouco. Retirar as folhas de louro (caso as tenha usado) e guardar em frascos hermeticamente fechados.
.
O autor aconselha a guardar os frascos durante um mês, antes de consumir, para intensificar os sabores. Mas eu não acredito que isso cá em casa vá acontecer :) A primeira já começou a ser consumida acompanhada de queijo de cabra.
.
P.S. Aqui no Blog já existia outra receita de compota de cebola roxa.

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Brownie, CheeseCake e Framboesas... Poderá Haver Melhor?

Qualquer dia tenho de mudar o nome do blog para Tangerina Aderente ao Açúcar ;)
As sobremesas ultimamente são rainhas por aqui. Não, eu não vivo só de doces (mas tenho pena) mas vou-vos contar um segredo... daqueles segredos que não são bem segredos porque toda a gente sabe... as sobremesas são muito mais fotogénicas que a maior parte dos pratos e quando não se fotografa lá muito bem e se tem um blog de culinária... pois.... já perceberam, não é?
.
Esta receita estava na minha lista há já algum tempo mas só agora surgiu a oportunidade de a fazer. É deste livro que recomendo vivamente ou então a visita a uma das lojas em Londres. Eu sei que Londres não é propriamenteali ao virar da esquina :) mas se um dia passarem por lá não deixem de visitar este templo de ode à "não dieta" e isso que eu não sou uma "Cup Cakes fã" ;)
.
Ingredientes para o Brownie:
200gr de Chocolate
3 Ovos
250gr de Incing Sugar
110gr de Farinha
200gr de Manteiga
.
Ingredientes para a CheeseCake:
400gr de Queijo Creme
150gr de Incing Sugar
2 Ovos
1/2 Colher de Chá de Extracto de Baunilha (não usei)
.
Ingredientes para o Creme de Framboesa:
300gr de Natas
100gr de Incing Sugar
150gr de Framboesas mais algumas para decorar
.
Ligar o Forno a 170º. Para o Brownie começar por derreter o chocolate em banho maria ou no microondas (4 minutos a 180º). Bater a manteiga com o açúcar até obter um creme suave e sem parar de bater juntar os ovos, um de cada vez, juntar a farinha mexendo bem e por fim o chocolate derretido.
Colocar numa forma rectangular, a medida aconselhada é 33x23x5cm, mas eu usei uma quadrada.
Para a Cheesecake, misturar o queijo com o açúcar e o extracto de baunilha (se usar) até obter uma mistura homogénea e sem parar de bater juntar os ovos, um de cada vez.
Colocar a Cheesecake por cima do Brownie e levar ao forno 30 a 40 minutos até a Cheesecake estar dourada à volta mas o com o centro ainda pálido. Deixar arrefecer completamente e refrigerar pelo menos durante 2h ou de um dia para o outro.
Para o Creme de Framboesa bater as natas com as framboesas e com o açúcar até obter um creme firme.
Na altura de servir cobrir a Cheesecake com o creme de framboesas e enfeitar com framboesas frescas, usei também umas folhas de hortelã.
.
Esta fantástica foto foi tirada pela Querida Helena, na minha opinião uma das melhores fotógrafas (não profissionais) da Blogosfera Culinária. Por isso, um Grande Obrigada!

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Tom o Quase Lorde...

É necessário dizer que eu sou um gato de família, nasci em casa com todo o conforto, viviam lá também a mãe e a tia descendentes de uma linhagem de gatos amarelos raríssimos e como todos sabeis em vias de extinção… Sou por isso quase um Lorde.
Depois cheguei cá a casa e até achei o sítio agradável, tem sol, pouco barulho… Não se está mal…! Para um ser inteligente e culto como eu até tem bastantes livros onde sempre me posso deitar. Sou também muito modesto e não gosto de me gabar mas é necessário dizer que falo várias línguas, falo gatês e falo e entendo humanês, não sou como “certos gatos” com nome de comida que só falam gatês e mesmo assim tem problemas de expressão….! É outro berço… ou a ausência dele…!

Não sou um “Morning Cat” ao contrário do“plebeu” que todos dizem ser mais sociável… Tretas… Está-me sempre a contar que viveu na rua e como aquilo era divertido mas depois não sabe nada de nada… E tem um dicção que ninguém o percebe… Começo a achar que ele inventa metade das histórias só para ver se me impressiona…!
Na hora de comer diz-me sempre… “Tom vai lá pedir qualquer coisa que a ti é que te percebem…” Já vos disse que eu é que falo línguas, não disse? E lá vou eu…. Ou tentar encontrar a Senhora do Catering Felino e falar com ela ou se ela estiver na cozinha sentar-me ao lado da tigela e "dizer-lhe" umas palavras. Só nessa altura chega ele… O grande “aventureiro” que viveu na rua 4 meses e que era muito despachado…. Pois devia ser… Nota-se logo quando a porta da rua se abre e ele nem tenta sair… aventureiro… sim, sim.

Esta foto foi simpaticamente tirada pela Tia Canela para quem pousei com desenvoltura. E apenas um à parte… esta mania que alguns humanos têm de terem nomes de comida é um bocadinho estranha…. São Ameixa, Laranja, Canela, Pipoka… mais a Tangerina que já cá vive… enfim... Mas esta gente não tem nomes normais? E depois eu é que sou estranho.

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Mousse de Chocolate em 5 Minutos

Se eu pedisse a algumas das pessoas que me conhecem que me definissem em 3 palavras, não tenho a certeza se a "curiosidade" seria uma delas… Mas é a curiosidade um dos meus motores… É por ela que viajo, é por causa dela que compro livros e revistas com receitas que nunca terei tempo de fazer nem que viva várias vidas…. É por causa dela que comecei a ver blogs…. E por ela que gosto de conhecer pessoas e é sempre por curiosidade que experimento receitas novas… como esta… que leva Marshmallows…. isso mesmo... Marshmallows.... Medo ;)
.
A última vez que comi uma “coisa” destas foi há mais de 30 anos…. Nessa altura eram comprados em Espanha e eu e a minha amiga Ana sempre lhes chamámos "Petifofas"… Vá-se lá saber porquê… Até hoje não sei se era o nome que lhe davam em Espanha ou se nós simplesmente o inventámos…. :)
.
Acho que só ouvi a palavra "Marshmallows" muito mais tarde, estive num colégio em Boston e uma das professoras falou deles… Ela ficou com um ar chocado quando eu lhe disse que não sabia o que era… Mas não conseguiu superar o meu ar de choque quando ela me disse que não sabia onde ficava o Haiti…. Não sei qual de nós as duas ficou a ganhar com a troca de informação….!
.
Mas adiante…. Num raro momento de zapping televisivo encontrei a Nigella a fazer esta mousse. Ela estava com aquele seu ar de “Uhmmmm, isto é mesmo fantástico, têm de provar”... enfim... o ar dela :)
A curiosidade falou mais alto e os Marshmallows voltaram à minha vida de pessoa que tenta não comer “coisas que vem dentro de pacotes e tem cores estranhas” :)
.
Se valeu a pena? Valeu, e muito! A mousse além de ultra rápida, é cremosa, espessa, densa e muito, muito boa.
.
Ingredientes:
150g de Marshmallows
50g de Manteiga
250g de Chocolate com 70% de Cacau
60ml de Água Quente
300ml de Natas
.
Já que era para ser rápido coloquei todos os ingredientes (menos as natas) no microondas 4 minutos a 360º. Quando acabou o tempo misturei tudo para obter uma mistura homogénea e juntei as natas previamente batidas.
.
A da foto está mais espessa porque passou a noite no frigorífico, mas passados alguns minutos de estar no frio já está uma mousse pronta a consumir, podendo ser feita no início de qualquer refeição para ser consumida no fim.

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Doce de Figo com Especiarias no Microondas


Esta receita está impressa desde os tempos em que eu nem pensava sequer em ter um blog. Mas no últimos anos o padrão têm sido sempre o mesmo.... compro os figos e eles desaparecem como “por magia” :) nunca sendo suficientes para fazer quase nada com eles e muito menos um doce...
.
Há exactamente um ano fui salva pela Pipoka e este ano a generosidade tocou-me literalmente à porta pelas mãos da Querida Laranjinha, que num acto de supremo luxo me trouxe até casa uma bandeja enorme cheia de figos. Alguns desapareceram logo, outros foram sendo usados em saladas, mas já não houve desculpas para não fazer o doce.
.
O microondas é um objecto que nunca tinha sido antes usado para fazer doces, na verdade eu uso-o muito pouco, mas revelou-se muito competente :)
A única alteração que fiz à receita foi a redução da quantidade de açúcar e mesmo assim acho que podia ter reduzido mais. Para comer com queijo de cabra está óptimo mas para comer por exemplo com bolachas acho que podia ser menos doce.
.
Ingredientes:
1 e 1/2 Chávena de Figos Frescos e Pelados (são +/- 350gr)
1/2 Chávena de Laranja sem pele e sem sementes cortada aos cubos
1 e 1/2 Chávena de Açúcar (usei apenas 230gr)
3 Colheres de Sopa de Sumo de Limão
1/4 de Colher de Chá de Gengibre em Pó
1/4 de Colher de Chá de Cravinho em Pó
1/4 de Colher de Chá de Canela em Pó
1/2 Colher de Chá de Manteiga
.
Colocar todos os ingredientes numa taça que possa ir ao microondas, misturar bem e deixar macerar cerca de 30 minutos.
Levar ao microondas onde o tempo total de cozedura será de 15 minutos na potência máxima. Nos primeiros 8 minutos deve-se deixar cozer e depois deve-se ir mexendo mais ou menos de 3 em 3 minutos. No meu caso demorou um total de 17 minutos. Na receita original pode ser visto um excelente passo a passo.

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Baklava


A Baklava é uma sobremesa típica de alguns países do Médio Oriente mas também muito presente na Grécia. Em Kalampaka (a cidade que fica em baixo de Meteora) comi uma que estava deliciosa e apesar dos Gregos serem grandes adeptos de pastelarias (há quase uma em cada esquina) não voltei a comer mais nenhuma. Mas a vontade ficou cá e a gulosa que vive dentro de mim, resolveu meter mãos à obra e satisfazer o desejo ;)
.
Existem inúmeras receitas, quer na net quer em livros, no entanto e penso que devido a erros de tradução (fica-me sempre a dúvida de se quem traduz livros de cozinha percebe alguma coisa de alimentos…. Mas só isso dava outro post) muitas receitas pedem para usar massa folhada em vez de massa filo… indo ao ponto de na explicação da receita pedirem para sobrepor 5 a 10 placas de massa folhada só para a base…. pois… havia de ficar bonito.
.
Acabei por adaptar uma receita que vinha neste livro. No fundo qualquer Baklava parte de uma receita muito simples com apenas 3 componentes, massa filo com mateiga, frutos secos e calda. Os frutos secos podem ser aqueles que se quiserem e a calda leva sempre água de flor de laranjeira, que eu que não encontrei à venda (também não procurei muito) por isso se alguém souber onde se vende por favor diga-me porque acho que realmente faz falta.
.
Esta quantidade de Ingredientes rende 16 quadrados de 6x6cm cada. Eu fiz apenas ¼ da receita e com isso consegui 4 quadrados como os da foto.
.
Ingredientes para a Calda:
375ml de água
500gr de Açúcar
90gr de Mel
60ml de Sumo de Limão
2 Colheres de Sopa de água de Flor de Laranjeira (não usei)
.
Ingredientes para o Recheio:
600gr de Frutos Secos (a receita pedia nozes, pistáchios e amêndoas) mas usei uma mistura de Avelãs, amêndoas, pistáchios*, pinhões e sementes de sésamo.
2 colheres de Chá de Canela em Pó.
.
Ingredientes para a Base:
375gr de Massa Filo
200gr de Manteiga derretida
.
Fazer primeiro a calda levando ao lume a água com o açúcar, deixar derreter o açúcar e depois ferver durante 5 minutos. Misturar o mel, o sumo de limão e a agua de flor de laranjeira e deixar ferver mais 2 minutos. Retirar do fogo e deixar arrefecer.
.
Aquecer o forno a 170º, entretanto triturar os frutos secos juntamente com a canela até obter uma mistura relativamente grossa, eu triturei tudo na Bimby 20 segundos na velocidade 5.
.
Untar uma forma quadrada ou rectangular e começar a dispor a massa filo cortada ao tamanho da forma. Para a base são necessárias 5 folhas sobrepostas que devem estar pinceladas dos 2 lados com manteiga. Colocar por cima da massa os frutos secos bem espalhados, (com mais ou menos 1cm de espessura), voltar a colocar mais 5 folhas de massa sempre untadas com manteiga dos 2 lados e voltar a colocar novamente mais frutos secos e assim sucessivamente terminando com 5 folhas de massa.
No fim serão colocadas 20 folhas de massa (em 4 vezes) e 3 camadas de frutos secos.
.
Antes de levar ao forno fazer uns cortes na massa quase até ao fim do tabuleiro formando uns quadrados. Levar ao forno até estar dourado, mais ou menos 30 minutos.
.
Quando sair do forno voltar a acentuar com uma faca os quadrados, desta vez até ao fim da massa. Regar tudo com a calda já fria e deixar arrefecer completamente antes de servir.
.
A Baklava é por norma bem molhada e por isso bastante doce, eu usei apenas metade da calda indicada, o que a tornou mais crocante e menos húmida mas ligeiramente menos doce.
.
* É importante que os pistáchios sejam sem sal.

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Meteora

Assim que soubemos que não poderíamos sair da União Europeia e que teríamos que recorrer a um "Plano B", as ideias que surgiram imediatamente foram a Transilvania e Meteora na Grécia.
.
Tenho de confessar que eu nunca tinha sequer ouvido falar de Meteoramea culpa… porque deve ser dos sítios mais interessante da Grécia.
No cimo de vários montes existem há séculos alguns mosteiros, já foram mais de 20 mas neste momento são apenas 6. Alguns são acessíveis de carro (aqueles que têm normalmente mais visitantes) e outros apenas por escadas feitas na rocha, estes obviamente são menos visitados. As rochas são impressionantes tanto na altura como nas cores, oscilando entre uma enorme variedade de cinzas e castanhos.
.
Acabámos por visitar um de cada, começamos pelo menos óbvio, o mosteiro de Agia Tríada (Santíssima Trindade) para o qual tivemos de subir uma escadaria circular. Eram degraus e mais degraus, seriam por volta de 150 mas com os mais de 30º que se faziam sentir, para mim foram mais de 1500 :) Mas no fim a magnifica vista recompensou o esforço. O meu amigo Zé António que sabe tudo sobre James Bond disse-me mais tarde que este mosteiro entrou no filme “007 Missão Ultra-Secreta” algures nos anos 80. Este mosteiro é o da foto 1.
.
Mais tarde visitamos o mosteiro de Holy Meteora. É um dos maiores e actualmente um convento onde vivem algumas freiras em permanência. Uma curiosidade era o facto de estarem a distribuir à entrada uns panos para colocar à volta da cintura de forma a que todas as mulheres estivessem (aparentemente) de saia.
Tendo em conta que estávamos num lugar sagrado, podia fazer sentido se estivéssemos de calções ou de mini saia, uma vez que mostrar as pernas podia ser “indecoroso” mas não… destribuíam apenas os panos às mulheres que estavam de calções e de calças… ou seja o problema não era o mostrar ou não as pernas… o problema era não estar vestida de “mulher”.
Todas as mulheres que estavam de vestido ou de saia eram dispensadas do pano. Eu estava de calças e por isso à porta uma das freiras deu-me um tecido às flores azuis, eu dei uma rápida vista de olhos a todos os panos e com um sorriso pedi-lhe para trocar por um outro… ás bolinhas… onde há bolinhas não se pensa duas vezes… :) Este mosteiro é o da foto 2.
.
E porque “o seu a seu dono”, as fotos de hoje foram tiradas, mais uma vez, pelo Sr. Girassol ;)

terça-feira, 31 de agosto de 2010

Quiche de Salmão

As quiches são formas fáceis e rápidas de aproveitar restos, e os restos como todos sabemos são uma inevitabilidade na cozinha.
Quando uma posta de salmão grelhado sem história encontra um molho de endro perdido, a consequência é uma união feliz que só não durou para sempre porque o resultado foi devorado em 3 tempos.
.
Ingredientes para a Massa Quebrada:
150gr de Farinha
65gr de Manteiga sem sal
1 Colher de Chá de sal
1 Colher de Chá de Açúcar
75 ml de água
.
Desde que tenho Bimby faço tudo em 15 segundos/ velocidade 5 mas para quem não tem é misturar tudo com a batedeira ou com os dedos até ter uma areia grossa, não se deve misturar muito para a massa não ficar dura depois de cozida.
.
Ingredientes para o Recheio:
1 Posta de Salmão Grelhado
Sal e Pimenta
Endro muito picado
Sumo de Limão
1 Ovo
100 ml de Natas
100ml de Leite
.
Bater o ovo com as natas e o leite, até obter uma mistura uniforme. Juntar o salmão desfeito em pequenas lascas. Temperar com sal, pimenta, sumo de limão e endro.
Colocar o recheio nas formas forradas com a massa e levar ao forno a 200º até estarem douradas.

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Transilvânia

Toda a zona da Transilvânia foi uma grata surpresa e um dos pontos altos da viagem. Na verdade a Roménia foi muito mais do que estava à espera, a começar pelas estradas em excelente estado. Pode parecer pouco mas é muito, especialmente quando que chega da Bulgária com estradas com verdadeiras crateras, o que tornava qualquer simples deslocação numa “aventura contra obstáculos”.

A Transilvânia é a zona que ficou conhecida nos filmes e na literatura graças á obra de Bram Stroker que criou o Conde Drácula baseado numa figura local, o Principe Vlad III que não tinha propriamente fama de ser simpático.

O seu castelo em Bran foi por isso o primeiro ponto de paragem. Fica no meio das montanhas e é um sítio verdadeiramente encantador apesar dos inúmeros turistas - fotos 1 e 2.

Visitamos mais 3 cidades que são um verdadeiro “Bombom” e que formam o chamado “Triângulo da Saxónia”. A primeira foi Brasov, é relativamente perto do castelo de Bran e é a maior de todas, é uma cidade cheia de vida e muito agradável - fotos 3 e 4.

.A segunda cidade a ser visitada foi Sighisoara, muito mais pequena que Brasov e com toda a cidade antiga dentro de muralhas, tinha um ar bastante medieval e parado no tempo (com tudo o que isso tem de bom) - fotos 5 e 6.

.Por fim visitámos Sibiu, não estava prevista mas ficava em caminho e resolvemos passar por lá ao fim do dia. Foi onde estivemos menos tempo e como “o fruto proibido é o mais apetecido” foi por mim eleita a cidade mais bonita da Roménia. Acho que ajuda o facto de ter sido capital Europeia da Cultura em 2007 e por isso todos os prédios estarem pintados de fresco, num colorido que fazia a cidade “brilhar”, para além das janelas nos telhados em forma de olho que davam às casas um ar bem divertido - fotos 7 e 8.

De todos os sítios por onde já passei há sempre aqueles onde digo “aqui quero voltar” e a Transilvânia em sem dúvida um desses sítios, só não sei é quando.... :)
.
P.S E porque nenhuma das fotos de hoje foi tirada por mim, muito obrigada ao Sr. Girassol ;)

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Kulfi de Manga com Gengibre

Às vezes acontece esquecermo-nos do aniversário dos amigos…. Não é bonito, não é simpático mas acontece…. E foi o que aconteceu com o aniversário do Three Fat Ladies…. Passou-me… entre o achar que as participações eram só no Facebook, onde o Tangerina não está, e os dias a voar… a data foi-se sem eu sequer perceber…. Mas a Pipoka é especial e por isso não merecia que eu me tivesse esquecido, sobretudo porque ela foi a primeira pessoa que conheci nesta nova fase ao leme de uma Tangerina que é Aderente.

Porque se a Pipoka fosse um som era uma gargalhada, se fosse um adjectivo era a generosidade e se fosse um sabor era com certeza o gengibre, aqui fica um Kulfi de Manga com Gengibre, atrasado para a festa mas com todo o carinho que a Pipoka merece.
.
Ingredientes:
200ml de Leite
200ml de Leite Condensado
1 Colher de Chá (rasa) de Gengibre em Pó
300ml de Natas
300gr de Manga
.
Bater todos os ingredientes até formar um creme uniforme. Pode ser com um liquidificador, com a varinha mágica ou com um robot. Eu usei a Bimby durante 1 minuto na velocidade 6. Transferir o preparado para taças e levar ao congelador durante pelo menos 5h. No momento de desenformar passar ligeiramente as taças por água a ferver.
.
A receita foi tirada deste livro que é um perdição para os "amigos do Gengibre" ;)

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Tarator

Tarator é a sopa mais consumida no verão Búlgaro. Quando pensamos em iogurtes verdadeiramente espessos é mais fácil pensar em iogurtes Gregos que em iogurtes Búlgaros, no entanto uma das bactérias que dá origem ao iogurte é precisamente o "Lactobacillus Bulgaricus".
.
Na 2ª foto está a sopa original que comi em Veliko Tarnovo e na 1ª está a minha "cópia", feita a partir desta receita. Serviu para neste dia mais ou menos cinzento me levar, por momentos, de volta ao clima descontraído e sem pressa das férias.

Ingredientes:
1 Pepino Grande cortado em pequenos cubos
300ml de Iogurte Grego (já que Búlgaro não há por cá)
1 Dente de Alho o mais picado possível
Sumo de Limão
Azeite
Sal e Pimenta
Endro
.
Bater o iogurte com água muito gelada, metade do pepino e o alho até obter uma consistência não muito espessa. Juntar o restante pepino em cubos. Temperar com o sumo de limão, o azeite, o sal e a pimenta e por fim juntar o endro finamente picado.

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Veliko Tarnovo

A espera de 2 dias pelo papel que nos permitia sair com o carro da Bulgária levou-nos a conhecer uma cidade no norte que estava classificada no plano inicial com um, “se sobrar tempo vamos lá”. Chama-se Veliko Tarnovo, é uma cidade verdadeiramente amorosa e aquela que mais gostei na Bulgária.

Deviam estar uns 35º e mesmo assim subi heroicamente :) até ao cimo do castelo (na 1ª foto). Mas quando cheguei cá baixo, só necessitávamos de sombra, água fresca e litros de Tarator.
.
O meu desejo foi plenamente satisfeito num restaurante que ficava na rua mais antiga da cidade (na 2ª foto) e a receita segue dentro de momentos ;)

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

E já foram as Férias...

11 dias, 3 países, 3 alfabetos, 3.600km percorridos, 50 cd’s ouvidos, 450 fotos tiradas, 1 banho no Mediterrâneo, 35º às 11h da noite.
.
Esta foi uma viagem diferente de todas as outras que já fiz, saí a pensar que o destino seria um e no final foi outro… A ideia inicial era a de ir de carro desde a Bulgária até à Croácia passando pelos países da ex-Jugoslávia, mas logo à chegada a máquina burocrática entrou em acção e fomos confrontados com o facto de que um carro alugado na Bulgária não poder sair para fora da União Europeia… E mesmo assim necessita de um documento que custa 86 Euros e que demora 2 dias a fazer… enfim… quando a burocracia se sobrepõe ao bom senso o resultado não pode ser bom.
.
Primeiro veio a surpresa, mas rapidamente os antigos planos foram guardados e novos planos surgiram… Só se podia circular na União Europeia? Então seriam a Roménia e a Grécia a ser visitadas. Quando se gosta de conjugar o verbo “ir” o destino às vezes é o menos importante ;)
.
Por enquanto ficam algumas fotos de um dos sítios que mais gostei de visitar, o Mosteiro de Rila, um lugar verdadeiramente mágico no meio das montanhas na Bulgária.
Se às fotos eu pudesse juntar o som dos monges que cantavam no momento em que lá estive teriam a ideia da perfeição e da paz que se sentia.

sexta-feira, 16 de julho de 2010

Um Figo que sabe a Framboesa…

Lembro-me de ser muito pequena e de dizer quando algo era muito bom que sabia a framboesa… ou quando alguém era especialmente simpático, essa pessoa também passava a saber a framboesa… :) O mais engraçado é que no Algarve dos anos 70 as framboesas eram um fruto raro, nessa altura nem sei se alguma vez as tinha provado, desconfio que esta minha analogia devia vir de alguma imagem vista algures num livro, onde aquele fruto tão vermelho e redondo me deve ter parecido o supra sumo da perfeição.
.
O Figo Lampo faz hoje anos e apesar de ser um figo maduro a mim sabe-me sempre a framboesa. É uma framboesa cheia de deliciosas receitas polvilhadas de fotos lindas e de textos escritos com ternura.
.
O talento por detrás dele chama-se Margarida, é Algarvia como eu e uma das pessoas que já tive o privilégio de conhecer "ao vivo" na minha curta “aventura blogosférica”. A Margarida é um amor de pessoa e por isso alguém que apesar da distância espero conservar na minha vida por muitos anos.
Esta tarte é feita a partir de 2 receitas que já cá estão. A massa de tarte do costume desta vez recheada com Curd de Framboesa e decorada com framboesas “vivas” :)
.
Muitos Parabéns e Longa Vida ao Figo Lampo!

quinta-feira, 15 de julho de 2010

Folhado com Camarão

Num canto da minha sala há uma cesta com revistas. Estão todas equilibradas numa pilha que desafia qualquer lei da gravidade e apesar da correria dos gatos é raro caírem.
.
Costumo dizer a brincar que aquele monte de revistas é um índice da minha vida… Quanto mais ocupada ando maior é o monte…. :)
Mas descobri que agora há outro índice… este blog… que tem estado, por motivos vários, entregue a si mesmo.
A cozinha tem estado em modo “lento”, ou talvez em modo “rápido”, como esta receita que se faz num instante.
.
Ingredientes:
1 Placa de Massa Folhada cortada em Rectângulo
100gr de Cebola Picada
2,5 a 3dl de Leite
1 Colher de Sopa de Farinha
50gr de Manteiga
300gr de Miolo de Camarão
Sal e Pimenta
Salsa ou Coentros picados
.
Aqueça o forno a 220º e leve a massa folhada ao forno com um corte de 3 cm em toda a volta. Este corte vai permitir que se forme uma "caixa" de massa.
Leve ao lume a cebola com a manteiga e quando a cebola começar a alourar junte o miolo de camarão. Polvilhe com a farinha, misture bem e regue com o leite. Deixe engrossar mexendo de vez em quando. Retire do lume, tempere com sal e pimenta e misture a salsa ou os coentros picados. Quando a caixa de massa folhada estiver pronta coloque o creme dentro e está pronto ;)
.
Receita retirada do livro "Cozinha Rápida" ;) da Vaqueiro.

domingo, 20 de junho de 2010

Um Ano Depois...

O meu nome é Jeremias mas todos me conhecem por Muffin…. Faz hoje um ano que o dia começou da mesma forma… Acordar, procurar um pouco de comida, correr atrás de umas moscas, fazer uma soneca…. Mas de repente ela passou na rua… tinha um ar simpático mas ligeiramente triste…. Pensei logo em adoptá-la…. Corri atrás dela e disse-lhe:
"Olá, Olá!..."
.
Ela virou-se e também me cumprimentou com um sorriso. Ficamos ali a olhar um para o outro até que ela me levantou do chão e pude comprovar como era suave… voltou a pôr-me no chão, deu meia volta e preparava-se para se ir embora....mas eu insisti…

“Não te vás embora, eu quero adoptar-te…” foi neste momento que ela voltou para trás e me levantou a cauda…. Um momento humilhante para qualquer felino mas, deixei passar!
.
Depois levantou-me novamente do chão e disse-me:
“Vais-te chamar Beterraba” enquanto me fazia festas na cabeça..…
.
“Vou-me chamar o quê? Miúda, tu tens um ar amoroso, mas não percebes nada disto, pois não? Beterraba? Isso é nome de menina… eu sou menino, percebes? Jeremias…. Diz comigo… Je-re-mi-as…”
.
Mas ela insistia…
“Beterraba linda” e mais festas na cabeça…
.
Foi neste momento que pensei:
“Se o preço a pagar é chamar-me este nome ridículo tudo bem… seja, mas que os meus amigos não saibam”….
.
Depois entrámos num lugar macio onde ela me poisou e eu aproveitei para fazer mais uma soneca….
A viagem foi curta até um sítio cheio de pessoas com bata branca… E mais uma vez me levantaram a cauda... isto já começava a ser irritante, que paciência.... mas esses sim constataram o óbvio….
“Não pode ser Beterraba…. Tem de ser Beterrabo…. “ – disse um dos tipos de bata branca.
.
“Pois… era o me faltava” – pensei eu – isto agora só pode piorar… Je-re-mi-as, pessoas, digam comigo…. Jeremias!!
.
Mas parece que não estavam a ouvir… estes humanos não são maus tipos mas são um bocado surdos e educá-los dá trabalho…
.
Depois finalmente chegamos a casa… e opsss!! Já cá estava um mais velho… o Tom, que já se apresentou por aqui… é um tipo simpático mas não foi fácil conquistá-lo… ouvi dizer que ele tem stress pós traumático porque caiu do 5º andar quando era muito pequeno…. As coisas que estes felinos inventam para chamar a atenção e poderem dormir nos sofás… enfim… stress pós traumático, sim, sim.... ele tem isso e eu sou o coelho da Páscoa...
.
E cá estou eu, um ano depois… não me arrependo da minha adopção…. Se bem que ultimamente ouvi dizer a palavra “dieta” e fiquei assustado… E parece que me querem colocar na fila para a banda gástrica felina…. Mas enquanto isso acontece e não acontece vou comendo tudo o que posso, dando as minhas corridas e tentando levar a vida com calma, muita calma….!!

sexta-feira, 4 de junho de 2010

Salmão com Molho Asiático

Este salmão não tem nada de especial na sua confecção. O toque de diferença é dado pelo molho que o acompanha, que se conjuga muito bem quer com o salmão quer com as sementes de sésamo.
.
Esta foi mais uma oportunidade de usar os excelentes produtos da Quinta das Atalaias simpaticamente oferecidos pela A.S.A. na nossa estadia por terras Algarvias.
.
A receita foi adaptada de uma outra do Chef Henrique Sá Pessoa que está actualmente na carta do Restaurante Alma. Obviamente o dele tem com um aspecto mais sofisticado e mais gourmet ;)
.
Ingredientes:
Filetes de Salmão sem pele nem espinhas
Sementes de Sésamo
Sal e Pimenta
.
Ingredientes para o Molho:
Sumo de 1 Lima
2 Colheres de Sopa de Óleo de Sésamo
2 Colheres de Sopa de Molho de Soja Light
1 Colher de Chá de Açúcar Escuro (usei "Dark Brown")
1 Dente de Alho muito picado
1 a 2 Malaguetas em Juliana (Usei 2 pequenas gotas de Piri-Piri Tradicional com Aguardente de Medronho da Quinta das Atalaias)
.
Misturar todos os ingredientes para o molho e deixar apurar os sabores no frio cerca de 30 minutos.
.
Temperar os filetes de salmão com sal e pimenta e cora-los numa frigideira anti-aderente com um fio de óleo de sésamo durante 2 minutos de cada lado. A ideia é que o salmão fique quase cru por dentro, claro que se esta ideia vos fizer impressão podem sempre cora-lo mais tempo de forma a que fique completamente cozinhado.
.
Passar o salmão pelas sementes de sésamo como se fosse um panado. O ideal é que elas sejas aquecidas ligeiramente ao lume, num frigideira anti aderente e sem qualquer gordura, para intensificarem o seu sabor. Desta vez esqueci-me de fazer isto e acho que fez falta.
.
Servir o salmão com uma salada (usei apenas espinafres e tomate cereja) e temperar ambos com um pouco de molho.

terça-feira, 1 de junho de 2010

Tarte Tatin de Tomate

Hoje sonhei com tarte tatin de tomate…. Mas quem é que sonha com isto? :) Com tanta coisa com que sonhar…. Ilhas paradisíacas, Ganhar o Euromilhões, Viagens de aventura à volta do mundo… Andar sobre as águas…. Voar…. E eu vou logo sonhar com tarte Tatin de Tomate?
.
Mas enfim... está sonhado, está sonhado. E se para realizar os outros sonhos não há nada que eu possa fazer (pelo menos de forma imediata) esta tarte foi sonha-la e faze-la, assim sem receita nem nada, que para isso é que servem os sonhos ;)
.
Ingredientes*:
Tomate Cereja cortado em dois
Massa Folhada
1 Colher de Chá Azeite
1 Colher de Chá Manteiga
1/4 de Colher de Chá de Açúcar Demerara
1/2 Colher de Chá deVinagre Balsâmico
Flor de Sal
Pimenta
.
Colocar o azeite e a manteiga numa frigideira. Quando estiver quente juntar o tomate, o açúcar e o vinagre balsâmico. Ir mexendo até o tomate começar a murchar (apenas uns minutos).
Colocar o tomate na base de uma tarteira e polvilhar com flor de sal e um pouco de pimenta. Cobrir com a massa folhada, anteriormente cortada ao tamanho da forma.
Furar ligeiramente a massa para que esta não inche muito ao subir.
Levar ao forno aquecido a 200º mais ou menos durante 15 minutos.
Desenformar e servir.
.
*As quantidades de azeite, vinagre, açúcar e manteiga são apenas para um tarte pequena.

sexta-feira, 28 de maio de 2010

Figos+Chocolate+Amêndoa=Combinação Feliz

A minha "super costela" Algarvia é que me dá um enorme gosto por figos, figos frescos, figos secos, figos recheados… figos…. Se para algumas das meninas que participaram na já tão falada viagem ao Algarve o difícil foi resistir aos fantásticos biscoitos de alfarroba para mim o problema foram os figos… que já desapareceram ;)
.
No outro dia numa passagem por uma loja “gourmet” vi uma caixas de figos recheados com chocolate e cobertos de chocolate…. Não sei exactamente como eram porque não os comprei…. Atacada que fui pela “não modéstia” que ás vezes me assalta quando digo, “Isto eu também fazia” :)
.
Foi chegar a casa e meter mãos à obra…. para “personalizar” a receita resolvi decorar com umas amêndoas laminadas já que o Algarve é a terra das amendoeiras.
.
Dizer-vos que ficaram muito bons é dizer pouco! A receita não tem quantidades porque dependerá da gulodice de cada um, mas com 50gr de Chocolate e 50ml de Natas já se recheiam muitos figos.
.
Ingredientes:
Figos Secos
Chocolate e Natas em Partes Iguais
Chocolate para cobrir
Amêndoas laminadas
.
Começar for fazer um orifício na base de cada figo de forma a que seja fácil introduzir o recheio.
Derreter o chocolate e as natas no microondas a 180º (ou em banho Maria) até formar um creme liso e brilhante. Deixar arrefecer um pouco este creme e com a ajuda de uma seringa ou de um saco de pasteleiro rechear cada figo.
Mergulhar cada um dos figos no chocolate que entretanto também foi derretido no microondas a 180º durante uns 3 minutos (depende da quantidade do chocolate) passar cada um por amêndoa laminada e deixar secar.

quarta-feira, 26 de maio de 2010

Aveludado de Brócolos com Ricotta

Com a chuva e o frio de volta, voltam também as sopas “mornas”, infelizmente as sopas frias das quais sou absolutamente fã ainda não conseguiram chegar este ano à minha mesa.
Esta sopa é feita com um legume que não gera muito consenso… mas o mais interessante é que leva apenas isso…. Brócolos.
O Toque de diferença é dado pelos seus “acompanhantes” uma noz de ricotta e umas gotas de azeite de trufa.
.
Ingredientes:
Brócolos
Ricotta
Cebolinho
Parmesão
Sal e Pimenta
Azeite de Trufa
.
Escorrer a ricotta de forma a ficar o mais “seca” possível. Misturar o parmesão ralado e o cebolinho muito picado e temperar com sal e pimenta. Esta pasta pode perfeitamente ser servida com umas tostas ou com uns legumes crus (Cenoura, Pepino, Tomate etc).
.
Colocar os brócolos numa panela e cobri-los de água, temperar com sal e pimenta e levar ao lume até estarem cozidos. Escorre-los mas reservar a água da cozedura. Misturar um pouco de água e ir triturando-os até obter um puré suave, a ideia é ir misturando a água aos poucos. Rectificar o sal e a pimenta.
.
No momento de servir, formar pequenas “nozes” de ricotta e colocar uma noz em cima de cada prato de sopa. A sopa deve ser servida morna para o queijo não derreter.
Temperar com umas gotas de azeite de trufa.
.
Esta é uma receita do Chef Henrique Sá Pessoa feita na Cozinhomania algures em 2007.