sábado, 20 de Novembro de 2010

Panna Cotta de Chocolate com Curd de Limão para a Moira

O Tertúlia de Sabores faz hoje 3 anos e é necessário comemorar a existência de um dos melhores blogs Nacionais. O mais curioso é que cheguei ao blog da Moira através de um link num blog Espanhol e lembro-me perfeitamente do primeiro post que por lá vi.
.
Foi esta fantástica torta que acabei por nunca fazer mas que até hoje me povoa os sonhos. Fui agora lá ver se havia algum comentário meu, mas não…. Este blog tinha nascido no dia anterior e eu era, nessa altura, demasiado tímida para comentar :)
.
Pora isso a sobremesa de hoje só podia ser de Choloate com Limão com votos de Muitos e Doces Parabéns ao Tertulia.
.
Ingredientes para a Panna Cotta (6 unidades):
200ml de Natas
200ml de Leite
4 Folhas de Gelatina
70gr de Chocolate em Barra (70% de Cacau)
2 Colheres de Chá de extracto de baunilha
4 Colheres de Chá de Açúcar
.
Colocar as folhas de gelatina de molho em água fria. Levar ao lume as natas com o leite, o açúcar e o extracto de baunilha. Quando levantar fervura desligar o lume e juntar as folhas de gelatina bem escorridas e o chocolate partido em bocado pequenos. Mexer tudo até obter um creme liso e uniforme. Distribuir por pequenas formas (ou colocar numa grande) e levar ao frio até prender (normalmente 2 a 3 horas)
.
Para o Curd de Limão usei a receita que vinha neste livro mas acho que não fica tão bom como a que costumo usar habitualmente. A receita que fica sempre bem é da Alice Waters e foi publicada aqui pela Querida Fer no Chucrute com Salsicha.
.
A receita da Panna Cotta foi baseada numa que vinha neste livro.
.
P.S Como eu a Suzana temos tanto em comum acabámos por nos lembrar ambas do mesmo presente para a Moira ;) Esta é a Panna Cotta de Chocolate feita por ela.

quarta-feira, 17 de Novembro de 2010

Tomatinhos Alegres para Alegrar Amigos

Esta é uma entrada fácil, rápida e ideal para petiscar entre amigos. Foi uma das coisas que fiz para o jantar de "Pizas ao Domicílio" que a Querida Laranjinha já tão bem descreveu no Cinco Quartos de Laranja.
.
A receita é da Paulina Mata, uma grande divulgadora da Cozinha Molecular em Portugal e foi-me passada numa aula na Cozinhomania há já alguns anos.

Ingredientes:
Tomates Cereja Vodka ou Tequilla
Flor de Sal
Ervas da Provença
Piri-Piri em Pó*
Raspas de Limão
Salsa ou Coentros Picados
.
Picar os tomatinhos com um palito e cobri-los com o Vodka ou a Tequilla. Deixar de molho pelo menos 2h. Misturar todos os outros ingredientes a gosto. Na altura de servir escorrer os tomatinhos e servir com o sal temperado à parte.

*Desta vez não tinha e por isso usei uma micro gota do excelente Piri-Piri com Medronho da Quinta das Atalaias.
.
P.S Um Grande Obrigada à Laranjinha, autora da foto presente neste post ;)

quinta-feira, 11 de Novembro de 2010

E se a Nigella fosse Algarvia?

Se a Nigella fosse Algarvia viveria numa casa em Cacela Velha com vista para o mar, faria compras no mercado de Olhão, passearia os cães no vasto areal da Praia Verde e subiria até Cachopo para encontrar as melhores ervas.

Se a Nigella fosse Algarvia a sua Pavlova não teria cacau mas sim Alfarroba.
.
Ingredientes para o Merengue (4 Pavlovas pequenas):
4 claras mediadas
O dobro da medida das claras em açúcar
1 colher de sopa de Alfarroba em Pó
.
Ingredientes para a decoração:
200ml de Natas
1 Colher de Sopa bem Cheia de Açúcar em Pó
Framboesas
.
Costumo fazer sempre o merengue “a olho” como já expliquei na outra Pavlova. Eu sei que fazer coisas “a olho” em pastelaria está próximo da heresia :)
Ao contrário da cozinha onde a alquimia de ingredientes é mais livre na pastelaria tudo dever ser pesado ao grama. Mas que querem… se há coisa que eu gosto é de não seguir regras e sempre me dei bem com a "minha" fórmula :)
..
Bater primeiro as claras em neve até terem picos pouco firmes, juntar o açúcar aos poucos e por fim a afarroba em pó.
Colocar o merengue num saco pasteleiro ou com uma colher fazer círculos em cima de uma folha de papel vegetal. A ideia é criar um “ninho”, uma espécie de caixa onde se vai colocar depois o creme. A temperatura do forno interfere com a cor da Pavlova por isso não deve ser mais de 100º, normalmente fica lá 1h porque eu gosto do interior cremoso mas podem ser 2h se quiserem mais seco.
.
Bater as natas com o açúcar até obter um creme espesso. Colocar o creme sobre as pavlovas e decorar com as framboesas.
.
P.S Muito obrigada a todos pelas carinhosas mensagens de solidariedade que deixaram no post anterior. Correndo o risco de desiludir os mais curiosos não vou nunca dizer nem o nome do autor nem o nome do livro. Desculpem mas aprendi que a má publicidade é também uma forma de publicidade ou como já em tempos alguém dizia “falem mal mas falem de mim” ;)

segunda-feira, 8 de Novembro de 2010

Saberá a Miss Mundo de Direitos de Autor?

Podemos dizer que na generalidade eu tenho perante a vida uma postura tipo estereótipo de Miss Mundo... :) "O que eu desejo é Paz no Mundo para todas as pessoas e também para as crianças"... Quero com isto dizer que detesto conflitos, vivo mal com eles, acho-os na maioria das vezes desnecessários e a vida ensinou-me (não da melhor forma) que não vale a pena chatearmo-nos por ninharias porque há coisas tão mais importantes...!
.
Mas há alturas em que a Miss Mundo que vive em mim tira férias… E quem fica a tomar conta da casa é uma pessoa muito pouco tolerante com certas coisas… No mundo dos blogs de culinária, por exemplo… tira-me do sério a incapacidade que algumas pessoas têm de não referir as fontes daquilo que fazem… Como se o dizer que se viu a receita noutro blog ou numa revista fosse algo menor… Será desconhecimento? Será falta de paciência? Será o quê? Na minha modesta opinião é apenas falta de ética… Ou será apenas falta de bom senso? É como se a simples visão de algo nos pudesse tornar proprietários desse mesmo algo. Como se fosse normal ir a casa de alguém gostar de um objecto e leva-lo para nossa casa sem pedir.

E depois há as surpresas da vida… Um jantar, uma entrada, um pedido de receita e o vermos essa mesma receita, que era nossa, que não estava publicada em lado nenhum, ser publicada num livro… Sem um qualquer aviso por parte do “autor”, sem uma informação prévia ou quem sabe, talvez até um pedido… A incapacidade de acção e a certeza de que se um dia quisermos publicar aqui ou em qualquer outro lado, aquela que era a “nossa” receita, ela não será mais do que a “cópia” de um qualquer livro entretanto publicado… e para isto há nome?